quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Você acredita nos atuais Agroglifos?

Os agroglifos são um dos maiores mistérios da humanidade. Surgiram há aproximadamente 30 anos atrás no interior da Inglaterra e se espalharam pelo resto do mundo. Muitos acreditam que seres de fora deste planeta, já outros alegam ser apenas fraudes. Confira neste artigo e saiba mais sobre esse interessante e intrigante fenômeno que mexe coma imaginação de todos.
Agroglifos é, talvez, um fenômeno que não é muito conhecido pelas pessoas. Trata-se de uma manifestação de imagens, desenhos feitos em plantações de milho, canaviais, entre outros, de forma inexplicável. São sinais que podem ser facilmente confundidos com os nossos conhecidos hieróglifos egípcios. Essas manifestações em campos de plantações são relacionados a formas de vida inteligente não conhecidas pelo homem.
Realidade x Fraude

O fenômeno de Agroglifos no Brasil teve início em 2008 na região sul do país, principalmente em pequenas cidades com menos de 10 mil habitantes. Até hoje, no Brasil, nenhum artista ou pessoa reclamou a si a fraude e assumiu o seu trabalho, o que nos leva a pensar que essas são possíveis casos reais. Entretanto em outros países como na Inglaterra, artistas já enganaram muita gente ao criarem agroglifos com muita precisão e depois de um tempo admitiram a autoria de certos desenhos.

Aqui podemos ver que é possível cria-los!


Essas imagens pode ser produzidas facilmente com uma simples vassoura, por exemplo, a pessoa simplesmente pode ir aos poucos dobrando as plantas até formar tais imagens, entretanto existem Agroglifos que são tidos como quase impossíveis de se reproduzir. Deve-se ao fatos ao da precisão métrica, do formato e do tamanho, ou seja, são mais do que meros círculos no campo. Há possibilidade de serem verdadeiros e o tempo que levaria para ser feito, algo dessa magnitude e precisão poderia levar dias ou muitas horas para ser feito por uma equipe bem treinada. Sem falar que seria preciso uma marcação precisa por satélite e GPS para reproduzir com exatidão o que já foi encontrado.

 Reconhecendo um Agroglifo verdadeiro

Um agroglifo verdadeiro pode ser identificado por vários fatores, veja aqui uma lista de fatos que ocorrem quando é encontrado um agroglifo.(Pelo menos é o que dizem) 

Atividade magnética e energética
Odores diferentes
Flash de luzes
Encontrado em locais isolados ou pouco habitados
Formatos diferenciados, totalmente simétricos
Relatos de ocorrências incomuns no local
Significado dos Agroglifos

Há muita controversa sobre tal significado. A maioria dos ufólogos, estudiosos nessa área, concorda em dizer que essa é uma mensagem de seres de vida inteligentes que não são deste planeta. Não é possível traduzir o significado dos símbolos, outros estudiosos relacionam os agroglifos a símbolos antigos, principalmente da civilização egípcia, cujo a qual poderiam ter alguma ligação.

Rondinelli: Eu particularmente acredito em “marcas” em plantações, mas não nesses atuais! Acredito em marcas de pouso e não desenhos complexos sem sentido algum. Sabemos também de relatos de que pessoas são contratadas para fazer esses desenhos! Favorecer alguém? Sim, claro! Já que é um assunto fascinante e que vende milhões (Revistas por exemplo).
Acredito sim que somos visitados a milênios, só não acredito que seres altamente evoluídos venham até aqui só pra zuar nossas plantações, não é verdade!?
E você? Acredita em Agroglifos?

Parte do texto: Fc Noticias




segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Observação de Objeto Voador Não Identificado em Fernão Ferro


Localização - Fernão Ferro

Data, hora - 28/11/2016 - 18:30h

Testemunha - Senhora Helena Duarte

Relato da testemunha

Hoje, 28 de Novembro de 2016, avistei algo estranho no céu da zona onde resido: Fernão Ferro (Freguesia do Seixal, Conselho de Setúbal).
Como não é a primeira vez que faço um avistamento estranho, resolvi consultar a net para descobrir se existe alguma entidade que recolha
este tipo de informações, e encontrei este vosso endereço.

O que vi hoje, cerca das 18:30h.
Estava ao fundo do meu quintal, que é comprido, e vi no céu, para lá do telhado da casa, algo brilhante que se deslocava da esquerda para a direita,
tipo em direcção a Setúbal.
Chamou-me a atenção a intensidade de luz que piscava e a rapidez do objecto, pois era um pouco mais rápido que normalmente se nota num avião,
mas principalmente porque a sua luz era muito intensa e nítida.
Fiquei a observar e a pensar: os aviões agora têm uma luz tão forte?
Enquanto isso reparei noutro pormenor ainda mais estranho: A luz tinha um formato sensivelmente retangular e mudava de côr: verde, depois azul, depois vermelho, verde, azul, vermelho, verde… e assim
sucessivamente… e, cada vez que mudava a côr, ela aparecia numa zona diferente, como se o objecto tivesse luzes em sítios diferentes e as
acendesse uma de cada vez, rotativamente.
Todas estas “anomalias” prenderam a minha atenção e não tirei os olhos daquele espectáculo.
Calculo que tenha durado pouco mais de meio minuto,
desde que raparei nele.

Croqui enviado pela testemunha
Como disse, ele ía em deslocação para a direita mas, de repente, o objecto desceu rápida e verticalmente e num ápice deixei de o ver por causa do
telhado da minha casa.
Fui a correr até à frente da casa mas não vi mais nada, nem luz nenhuma em sítio nenhum.

O outro caso estranho deu-se na noite de 31 de Dezembro de 2014, cerca das 18:30.
Eu ía de carro, de Setúbal e a chegar ao Pinhal Novo. O marido ía a conduzir e eu ao seu lado. Estávamos a passar numa avenida ladeada de palmeiras
e os prédios à minha direita estavam bastante distantes.
Enquanto apreciava a paisagem reparei que no céu, acima daqueles prédios, mas
certamente muito para lá deles e muito acima deles, havia uma luz redonda vermelha, de contornos bem definidos, portanto não havia laivos a
desvanecer para o exterior. Era grande demais para ser de um avião e não piscava.
Fui acompanhando atentamente para perceber se ela se movia e em que sentido mas, como íamos em deslocação, não consegui ter a certeza.
Parecia-me que, se se movia, era muito lentamente.
Enquanto olhava fixamente a luz vermelha a tentar perceber o que era e para onde ía, ela simplesmente se apagou.

Conto-vos estes casos na esperança de que me possam informar se têm outras descrições idênticas nas mesmas datas e lugares, que nos levem
a um entendimento maior do que eram estas luzes.
Fico, assim, na expectativa do favor das vossas notícias.

Ufo Portugal


Perante a observação descrita pela testemunha data e hora, será de referenciar dois voos sobre a área mencionada.
Voo da Ryanair logo seguido por um segundo da Tap.

DESCRIÇÃO DAS LUZES DE NAVEGAÇÃO E ANTICOLISÃO

Luzes de navegação: As lanternas de luzes de navegação são dotadas de lâmpadas de filamento, as quais, quando ligadas, mantêm um fluxo constante de luminosidade.

Lanterna na cor vermelha, asa esquerda.
Lanterna na cor verde, asa direita.
Lanterna na cor branca, cauda.

Os voos não se relacionam com a direção do avistamento "objeto" no sentido Fernão Ferro - Setúbal.


 Satélites visíveis embora com extrema dificuldade, seria Ariane e Intercosmos a Sul.
Porem e de referenciar que os Satélites não emitem luzes de cores, mas sim e em alguns casos refração da luz Solar através dos seus painéis.

Analisando a descrição das cores, constatamos a ausência da luz azul nas aeronaves, como também os movimentos esquerda e direita não fazerem parte de um voo ou qualquer padrão conhecido de uma aeronave.
Sem muita informação podemos alegar que o dia 28 de Novembro terá sido bastante ativo em especial na Turquia e Canadá com a observação anómala de várias luzes que estão em análise de investigadores locais.

video

Existem inúmeros fatores que não se enquadram nas características das aeronaves nesta observação.
Não deixa de ser interessante visto ser uma área com algum histórico visto a sua visibilidade para a Serra da Arrábida que conta com um vasto histórico incrível de observações anómalas!

Exemplo de um dos vários vídeos existente sobre o registo destes objectos voadores não identificados na região de Setúbal.

Vídeo realizado em 2012


Uma das possibilidades seria a presença de algum drone visto ser uma das tendência em crescimento no país.
Portanto, se observou algo de anormal ou extraordinário que nos possa ajudar queira por favor entrar em contacto connosco ufo_portugal@sapo.pt

O Ufo Portugal, ao longo dos anos tem se dedicado ao registo, monitorização e identificação dos pontos de observação pelo país.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

OVNI em São Marcos - Sintra "vídeo"

Estranho fenómeno aéreo é registado por telefone na região de Sintra.

Este fenómeno terá despertado a curiosidade de Nuno Dias juntamente com um amigo, ao chegar no recinto escolar de São Marcos, pelas 08:05 da manhã de hoje, quando viram viram no céu algo de coloração dourada brilhante!
Nuno terá então registado o fenómeno através do seu telefone.
Nuno, conta que o objecto terá se deslocado de Este para Oeste com uma observação de três minutos aproximadamente.

A observação terá então sido encaminhada de imediato para o Ufo Portugal, a fim de se proceder a recolha de mais informação sobre a origem do misterioso objecto voador não identificado.

Até ao momento não existe uma opinião formulada sobre a origem do misterioso objecto!
Desta forma se procede a recolha de informação de outras testemunhas que tenham presenciado o mesmo fenómeno.

Se observou o mesmo fenómeno ou fez registo do mesmo, queira então entrar em contacto connosco via e-mail ( ufo_portugal@sapo.pt ).

Assista ao vídeo e tire as suas conclusões.


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Origem da humanidade




Canal History exibe documentário Círculos, sobre o aparecimento de Crop Circles no Oeste de SC - Brasil


Filme acompanha a rotina dos habitantes de Ipuaçu e as investigações do editor-chefe da revista UFO, Ademar Gevaerd
Foto: Novelo Filmes / Divulgação

Desde 2008, sempre na mesma época do ano, aparecem misteriosos agroglifos - aquelas circunferências de até 110 metros de diâmetro que surgem em plantações, geralmente de trigo - em Ipuaçu, no Oeste catarinense. A curiosidade sobre o assunto levou a cineasta catarinense Cíntia Bittar, da Novelo Filmes, de Florianópolis, a idealizar o documentário Círculos, que estreia nesta quarta-feira (23), às 22h40min, no History, com reprise no sábado, no mesmo horário. O filme será exibido como parte da programação especial Invasão Alienígena, que vai até sábado (26), sempre a partir das 20h.

Primeiro documentário de longa-metragem sobre o surgimento de agroglifos no Brasil, Círculos acompanha a rotina dos habitantes de Ipuaçu e as investigações do editor-chefe da revista UFO, Ademar Gevaerd. Com 75 minutos de duração, a produção traz depoimentos de moradores como Marco Tonin, operador de máquinas de agricultura que foi o primeiro a chegar no agroglifo de 2015 em Ipuaçu, Genuíno Begnini, padre da região que afirma já ter visto ovnis e Seu Valdemar, o dono da propriedade. As diversas teorias colaboram para que a narrativa tenha um quê de suspense e humor.


— São personagens com senso de humor muito afinado, é impossível não se divertir. Mas o próprio mistério da situação acaba gerando um suspense. Então, esse clima está presente pelo tema e o humor por causa das pessoas, que analisam a situação com pontos de vista bem distintos e teorias divertidas. A gente quis passar para o expectador a situação de estar lá — explica Cíntia, que assina o argumento e direção e também fez a produção ao lado de Ana Paula Mendes.


A equipe da Novelo Filmes passou três semanas em Ipuaçu em outubro de 2015 na expectativa, já que os sinais costumam aparecer sempre nesta época do ano. Eles já estavam quase desistindo quando, no dia 31, foram fazer uma ronda pela manhã e encontraram algo estranho no meio de uma plantação. Em 2016, os círculos voltaram a ocorrer no Estado no começo de novembro. Além de Santa Catarina, Círculos também vai mostrar outros fenômenos que aconteceram em Prudentópolis, no Paraná - única cidade além de Ipuaçu a registrar o fenômeno no Brasil. 

video

Para definir se um agroglifo é realmente autêntico - ou seja, feito por extraterrestres e não por humanos - é preciso atender a alguns critérios, como o trigo deitado rente ao solo sem que o caule esteja danificado, como se tivesse sido penteado. Mas o foco de Círculos não é definir se o fenômeno é verdadeiro ou não, e sim mostrar a especulação e o impacto disso na cidade.

— Obviamente a gente nunca ia descobrir quem fez, mas as histórias são bem interessantes — resume Cíntia.

Abaixo um recente debate ufologico com o diretor da Revista UFO, Ademar Gevaerd, na TV Folha, onde o tema é debatido com bastante seriedade...


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

(Matéria de 2013 atualizada em janeiro de 2016) OVNIs: O porquê do sigilo sobre os documentos?





Em 2009, o então governo Lula iniciou um movimento para tornar públicos relatórios e documentos sigilosos sobre a aparição de objetos voadores não identificados no País. Encaminhou ao Arquivo Nacional mais de cinco mil páginas desses relatos, cujo prazo de 50 anos para manutenção do sigilo havia expirado. Em 2010, a Casa Civil baixou um decreto determinando que arquivos sobre o tema espalhados em diferentes órgãos fossem reunidos para posterior divulgação. Ainda há, porém, uma lista enorme de inquéritos, fotos, filmagens e depoimentos mantida em total segredo. Apesar de conhecida e informada nos anos 50 e 60, a existência de parte desta papelada é negada pela Marinha, pelo Exército e pelas Forças Armadas.

Essa situação inclui casos notórios. Um deles envolve a Operação Prato, que reuniu trinta militares para investigar as constantes aparições de objetos estranhos no céu da Amazônia entre 1977 e 1978. Os depoimentos armazenados em quatro fitas ainda não vieram a público. O mesmo ocorre com a documentação sobre a Ilha de Trindade, no Espírito Santo, cenário de uma suposta sequencia de aparições de discos voadores em 1958. À época, a Câmara pediu à Marinha acesso a todos os relatórios e fotografias. O então parlamentar Sergio Magalhães (PDT-DF) chegou a avisar publicamente que estava com o inquérito em mãos. Os relatórios, entretanto, não constam entre os que foram entregues ao Arquivo Nacional. “A Marinha não possibilitou o acesso. Sequer fazem referência ao que foi entregue. Cobramos respostas sobre o que temos certeza que existe”, desabafa o pesquisador Marco Antonio Petit. O Ministério da Defesa afirma não ter em seu poder os documentos que especialistas dizem que estão sendo omitidos.

Autor de pelo menos dois requerimentos enviados ao ministério pedindo acesso aos dados omitidos, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) resume o cenário: “Ainda persiste a nebulosa situação sobre o real tamanho dos arquivos e até onde o Comando está disposto a abri-los”. Mas qual seria a preocupação da Defesa? Militares ouvidos por ISTOÉ dizem que não existe interesse do governo em promover novas discussões sobre a existência ou não de extraterrestres. A não divulgação de documentos envolvendo o assunto seria uma maneira de garantir a ordem pública e evitar a instauração desnecessária de pânico, revelam as mesmas fontes. As explicações são rasas e não justificam o descumprimento de uma decisão já tomada pelo próprio governo. Embora questionável, esse controle procura imitar padrões já estabelecidos por países como Estados Unidos e Grã-Bretanha. “Nenhum governo ganha divulgando detalhes sobre operações desse tipo. Há muita coisa em jogo”, diz um militar de alta patente. houve um encontro entre ufólogos e os três comandos da Defesa. O debate foi uma oportunidade de esclarecer de uma vez por todas à população a necessidade da manutenção do sigilo das informações sobre os Óvnis no País.

FONTE: REVISTA ISTO É

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Terra um circo cósmico

Quando chegarem, cá para mim, mandam-nos para um circo cósmico

Leio aqui na Visão online que a NASA prevê encontrar vida fora da Terra nos próximos 20 anos.
O que significa que acredita que ela exista. E eu fico radiante de alegria, pois perco a vergonha de falar do assunto.
De facto, já tinha pensado escrever sobre isso e tenho evitado. Mas vamos por partes.

Toda a vida me fascinou esta questão.
Desde muito pequeno, imaginei que era de um planeta distante, o K 17 (por mim inventado), e que um dia os meus concidadãos me viriam buscar. Não fiz, claro, grande alarde da questão - podia ser maluco mas não era parvo - e mantive-me reservado até descobrir, não sei bem quando (provavelmente no princípio da minha idade adulta, já que tive o enorme privilégio de não ter tido adolescência e ter chegado a adulto vindo directamente da infância), esse fantástico livro que é o despertar dos mágicos, de Bergier e Pauwels.
Segui depois a carreira do J. Bergier e de todos os seus acólitos do "realismo fantástico", através, entre outros, dos seus múltiplos livros da célebre colecção preta da Bertrand.

Quando me tornei professor numa distinta universidade deste país, ousei um dia puxar o assunto junto dos meus colegas de departamento e só não fui apedrejado porque sou grande e era mais forte do que eles.
De qualquer maneira, não me livrei do ridículo de ser um pseudocientista que acreditava em seres do outro mundo.
Porque os extraterrestres são ainda piores do que as almas penadas, pois têm, como sabem todos os que vêem os filmes americanos de série B, cabeças de lagarto.

No entanto, nos meus estudos de Antropologia - felizmente, realizados bem longe daqui -, foi claro perceber-se que a teoria da evolução, apesar de inquestionável, tem "gatos", por vezes deparamos com evidências que sugerem uns quantos "empurrões" evolutivos.
Há depois, claro, centenas de factos e artefactos que são totalmente inexplicáveis à luz dos conhecimentos que possuímos.
No entanto, a nossa ciência oficial tem uma posição cómica: mesmo quando não sabe explicar, sabe o que não é aceitável como explicação.

Assim, os tipos lunáticos que acreditam que possa existir vida extraterrestre, embora acompanhados nessa humildade por alguns dos maiores cientistas que jamais existiram, são logo classificados como os imbecis que "acreditam em ovnis". E como a mediocridade humana tem muito prazer em divertir-se à custa dos outros, a chacota é monumental.
E depois há aqueles cineastas de que já falei, normalmente americanos, que fazem corar o Spielberg e dar-lhe vontade de ir viver, como o Brel, para as Marquises.
E não são necessariamente os criacionistas.
Nem sequer pessoas especialmente religiosas.
Grande parte são cientistas, ou professores universitários reputados, que nunca perceberam o que era verdadeiramente a ciência.

Muito bem. Um comentário sério: penso que a Humanidade ainda não está preparada.
Vamos precisar, nestes 20 anos, de passar muitas vezes os Encontros imediatos do 3º grau, com a autoridade do Truffaut a fazer de cientista.
Mas, muito mais importante do que isso, temos de pensar o que nós, terráqueos, temos para mostrar na fotografia: a guerra em Gaza e em todo o lado?
Ou seja, múltiplos seres humanos que se andam a matar uns aos outros, normalmente por causa da identidade de uns deuses antigos que, se calhar, foram extraterrestres que nos visitaram há milhares de anos (como postula a "teoria dos antigos astronautas")? A excisão feminina praticada em milhões de raparigas por todo o mundo (não devemos olhar de lado "os africanos subdesenvolvidos", porque se não existisse uma excisãozinha de outro tipo nos moços judeus, milhões deles teriam sobrevivido ao delírio nazi), como foi notícia esta semana?
A nossa ciência porventura tão débil?
Ou escondemos a malta toda e fazemos de conta que o planeta é só habitado por filósofos e artistas?

Se os extraterrestres tiverem a dimensão intelectual que se supõe, e se ela estiver, nesses outros mundos, associada a uma dimensão ética correspondente, deverão ter mais desprezo por nós do que o que sentimos pelos macacos.
Quando chegarem, cá para mim, mandam-nos para um circo cósmico.
Se essa associação não existir, e forem uns patifes, achar-nos-ão do melhor que há.

Em qualquer circunstância, estamos perdidos.


Visão